Como desenvolver seu condomínio de forma sustentável

Sabemos que o número de pessoas preocupadas com a sustentabilidade e a busca pela qualidade de vida estão aumentando a cada dia. Esse número tornou-se uma estratégia na administração de grande parte dos condomínios residenciais. Assim, muitos condomínios começaram a investir em ações sustentáveis, que vão da fase de construção até a adoção de novos hábitos. Para você ter uma ideia: 

  • De acordo com o Panorama dos Resíduos Sólidos no Brasil 2018/2019 (Abrelpe), o brasileiro gera por dia cerca de 1,03 kg de resíduos sólidos;
  • Se um brasileiro gera 1kg por dia, a quantidade que um condomínio residencial gera é ainda maior. Ou seja, é uma grande fonte de geração de resíduos sólidos domiciliares;
  • Durante a pandemia do Covid-19, a geração de resíduos nos domicílios aumentou cerca de 15% a 25%;
  • No Brasil, 26,3 milhões de toneladas de alimentos são desperdiçados por ano, essa taxa corresponde a quase 10% dos alimentos disponíveis no país. Enquanto isso, 5,2 milhões de pessoas passam fome.

A taxa de condomínio é cobrada para o bom funcionamento de um local, seja ele residencial ou comercial. Por isso, a necessidade de conscientização em relação à aplicação de soluções que mudem a forma como o seu condomínio usa energia e água, ou mesmo, como cuida dos seus espaços verdes e destina o lixo, é um dever de extrema importância e responsabilidade. 

Para que essa ação seja aplicada, é fundamental saber o que acontece dentro de seu condomínio. Por exemplo: como os jardins são regados e as áreas externas lavadas? Que tipo de iluminação é utilizada nos espaços comuns? E quanto ao lixo, como é coletado e destinado? Quais são os critérios de uso e manutenção de equipamentos? O condomínio já fez campanhas de conscientização com os moradores? Com essas simples perguntas, podemos gerar grandes transformações. 

UMA VISÃO ATUAL SOBRE A SUSTENTABILIDADE 

O termo sustentabilidade começou a ser bem relevante no cenário atual, uma vez que, em todo o lugar que se olha é observado algum tipo de impacto gerado pelo homem. A sustentabilidade torna-se preocupação quando o impacto reflete na vida da população, que pode ser afetada por enchentes, aquecimento global, poluição das águas subterrâneas, poluição de rios e lagos, entre várias outras catástrofes.

Sustentabilidade é nada mais que a busca pelo equilíbrio entre o suprimento das necessidades humanas e a preservação dos recursos naturais, não comprometendo as próximas gerações e suas necessidades. Sabendo disso, esse desenvolvimento pode ser aplicado: 

  • Individualmente: quando economizamos água, evitamos o uso de sacolas plásticas, separamos o lixo para realização da coleta seletiva. 
  • Coletivamente: quando temos a aplicação das ações de uma forma mais abrangente, como os condomínios que colocam lixeiras adequadas em seus prédios, captação da água da chuva para a economia desta, entre outras formas. Essas atitudes acabam se relacionando ao tripé da sustentabilidade que busca o equilíbrio entre o ambiental, o social e o econômico.

MAS QUAIS OS BENEFÍCIOS DE UM CONDOMÍNIO SUSTENTÁVEL?

A aplicação da sustentabilidade trará benefícios de curto, médio e longo prazo não só para o meio ambiente, mas também para todos os colaboradores e moradores do local.

  • Educação para a nova geração

Um dos benefícios mais importantes é a oportunidade de educar e criar os filhos em um lugar em que medidas reais são tomadas para preservar o meio ambiente.

É triste perceber que a vida nas grandes metrópoles afasta as crianças do contato tão fundamental e benéfico com a natureza. O resultado disso é uma geração voltada para o consumismo. Observando os adultos à sua volta agindo de forma consciente, é natural que as crianças consigam desenvolver o sentido de proteção e de cuidado com os recursos naturais desde cedo.

  • Ambiente mais agradável

Outra vantagem é a obtenção de um ambiente mais fresco e arejado, graças à valorização de áreas ajardinadas, gramados e bosques. O contato com essas áreas verdes acaba melhorando a qualidade de vida e a saúde.

  • Valorização do imóvel

A conscientização da necessidade de edificar condomínios que tenham um baixo impacto na natureza é cada vez maior no mercado imobiliário. E devido aos benefícios que esse tipo de empreendimento proporciona, o número de pessoas interessadas em adquirir uma unidade só aumenta. Por isso, a valorização de um condomínio mais sustentável está em constante elevação.

  • Redução de custos

A principal vantagem é em relação à redução de custos. De acordo com estudos do US Green Building Council (USGBC), entidade dos EUA responsável pela certificação LEED – Leadership in Energy and Environmental Design, as construções verdes apresentam ganho em produtividade dos funcionários, que pode chegar a 16%, reduzem em até 30% o consumo de energia, 50% o uso de água e 35% a emissão de gás carbônico. No caso dos condomínios, os custos de manutenção e operação são até 40% menores, com vida útil prolongada.  

DICAS DE COMO DEIXAR SEU CONDOMÍNIO MAIS SUSTENTÁVEL 

1-  Educação Ambiental

A implementação da sustentabilidade não cabe apenas ao condomínio. O papel dos moradores e dos funcionários é muito importante, pois é preciso que as iniciativas permaneçam e que sejam usadas no dia a dia. Essa conscientização deve ser divulgada e repassada para todos, por isso, invista na educação ambiental. 

A educação ambiental é a construção de valores sociais, conhecimentos, habilidades, atitudes e competências voltadas para a conscientização dos indivíduos sobre os problemas ambientais e como ajudar a combatê-los.

2- Gestão dos resíduos

A coleta seletiva é totalmente conectada a uma ação, a uma vontade do morador de realizar a separação correta. O condomínio que queira ter o mínimo de ações sustentáveis precisa se preocupar com a destinação do seu lixo. Para isso, é importante ter um Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos, e realizar a coleta com cooperativas, prefeitura ou empresas.

3- Energia solar fotovoltaica

Para a instalação dos sistemas, basta ter telhados em bom estado nas áreas comuns, como academias, salões de festas, churrasqueiras, escritórios administrativos, portarias, estacionamentos, ou até mesmo no solo caso o condomínio tenha espaço. Uma dica importante é em termos de economia para alimentar câmeras de segurança, equipamentos como computadores e iluminação de LED.

 A instalação dessa energia trará muitos benefícios para o condomínio, uma vez que, ela possui fonte infinita e possui baixa necessidade de manutenção, gerando economia de energia e redução da poluição e das taxas de carbono.

4- Captação da água da chuva

O condomínio perde a água da chuva. Com pouco investimento, o síndico consegue recuperar instalando uma cisterna, que é um reservatório que faz a captação da água da chuva e a armazena para uso doméstico geral. Além disso, ele pode fazer um pequeno tratamento com cloro, transferindo para uma torneira com um trabalho simples de encanamento. Essa água pode ser usada para os serviços de manutenção e limpeza das áreas comuns.

5- Compostagem

Faça a compostagem do resto de grama, folhas, podas de árvores e resíduos orgânicos do condomínio, pois esse processo permite transformar o resíduo orgânico, que iria se acumular nos aterros, em adubo, útil para jardinagem e agricultura. E caso não tenha uma horta ou jardim, o composto gerado pode ser até comercializado por ser de ótima qualidade.

6- Descarte do óleo de cozinha

Em alguns condomínios, os moradores despejam o óleo direto na pia da cozinha. Esse óleo é levado direto para o encanamento, entupindo toda a instalação, tendo um custo de manutenção elevadíssimo e gerando um grande transtorno, não só para o condomínio como para o meio ambiente. Por isso, instale um ponto de coleta de óleo dentro do condomínio, facilitando a ação dos moradores.

7- Faça manutenções preventivas

Outro potencial de economia é a verificação, manutenção e atualização dos equipamentos. A manutenção preventiva consiste em uma ação sistemática de controle e monitoramento e seu objetivo é reduzir ou impedir falhas no desempenho dos equipamentos. Ela aumenta a confiabilidade, segurança e gera economia. 

Então, busque vazamentos, verifique as torneiras de jardins, piscinas, torneiras de fechamento automático que demoram demais para fechar (desreguladas), faça as manutenção dos elevadores, bombas do condomínio, dentre outros. 

E não se esqueça da caixa d’água, os cuidados com a água são essenciais para que ela continue potável e própria para o consumo, evitando problemas de saúde. A falta de limpeza e manutenção pode contaminar a água, trazendo inúmeros prejuízos ao condomínio e à saúde dos condôminos. A presença de rachaduras e infiltrações também é um fator de risco. Com o vazamento, ocorre a perda de água, encarecendo a conta no final do mês e aumentando os gastos financeiros do condomínio.

8- Substituição de peças sanitárias 

Trocar algumas peças ajuda na economia de água. É indicado vasos sanitários com caixa acoplada, torneiras com restritores de vazão, chuveiros com temporizador no banheiro de funcionários, torneiras com fechamento automático ou por sensor de movimento, mictórios em banheiros masculinos nas áreas comuns (demandam aproximadamente 1,5 litros por uso, volume muito inferior aos 3 litros de um vaso sanitário de duplo acionamento).

9- Medição individualizada de hidrômetros

É indiscutível que a cobrança individualizada da água em condomínios é a forma mais justa e ecologicamente correta de se custear o uso desse bem tão precioso. Com a medição individualizada, cada unidade paga apenas pelo volume de água consumido, o que permite a cada um acompanhar, mês a mês, o seu gasto.

Normalmente, essa medida apresenta maior necessidade de investimento e tempo, podendo gerar mais transtorno para os ocupantes. No entanto, os resultados são muito significativos – mais de 30% de economia somente com essa medida.

10-  Invista em lâmpadas de LED

Atualmente, boa parte dos condomínios investe na troca das lâmpadas fluorescentes por LED. Nas áreas comuns, as lâmpadas de LED trazem ganhos consideráveis na conta de consumo. Além disso, a lâmpada fluorescente compacta queima muito e gera resíduos. Por isso, se o condomínio quiser descartar da maneira correta, deverá pagar para esse descarte. Isso vai entrando na conta.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s